Assinatura de contrato da ETE é marco na história de Capitólio

Assinatura de contrato da ETE é marco na história de Capitólio

Em Montes Claros, sede da Codevasf, aconteceu na manhã desta quinta-feira, 28, a formalização do contrato da obra de conclusão da Estação de Tratamento de Esgoto de Capitólio

O Prefeito de Capitólio, José Eduardo Terra Vallory, acaba de assinar em Montes Claros, sede da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), o contrato para início das obras de conclusão da Estação de Tratamento de Esgoto e sua rede  coletora no município capitolino. O documento foi assinado juntamente com o presidente da Codevasf, Marco Aurélio Ayres Diniz  e o superintendente regional  Aldimar Rodrigues Filho, na presença do presidente da Câmara Municipal de Capitólio, Hélio Gonçalves dos Santos.

“Essa obra tão sonhada por todo capitolino fará uma enorme diferença na vida de todos nós, significa uma saúde melhor, por não termos contato com possíveis contaminações dos esgotos lançados na porta de nossa cidade, significa a certeza de continuarmos a ter um desenvolvimento econômico e social ao termos uma bela paisagem neste lago do rio Piumhi, na frente de Capitólio, totalmente despoluído, proporcionando assim a atração para cada vez mais turistas, para conhecerem nossa orla e apreciarem essa natureza tão bela que Deus nos deu”, comemorou José Eduardo Vallory.

O prefeito de Capitólio também destacou o enorme ganho ambiental,  já que será menos uma cidade  que lança nas águas do rio Rio São Francisco um contaminante grave como o esgoto sem tratamento. “É um dia realmente histórico e fundamental na vida de nossa cidade, porque é inconcebível que uma cidade turística, uma cidade que cuida dos seus habitantes, possa conviver mais com a situação degradante que é não termos o tratamento do nosso esgoto. É um marco na vida de todos nós, um dia de muita alegria e comemoração para todos”, enfatizou.

O valor estimado para cotação de insumos, obras e serviços da ETE é de R$ 8,3 milhões. A liberação do valor contou com o apoio do senador Rodrigo Pacheco e de Carlos Melles, em seu último mandato como deputado federal. De acordo com o edital de licitação, o prazo para execução do objeto será de 540 (quinhentos e quarenta dias) consecutivos, contados a partir da data de emissão da Ordem de Serviço, podendo ser prorrogado, mediante manifestação expressa das partes.

Compartilhar este post