Dr. José Eduardo ainda sobre a fiscalização das barracas na Ponte do Rio Turvo e Cânions

Dr. José Eduardo ainda sobre a fiscalização das barracas na Ponte do Rio Turvo e Cânions

Desde quando o fluxo de turistas em Capitólio entre “explodiu”, vivemos um lado bom desse fenômeno, que é a oportunidade de emprego e renda para as pessoas. Mas, por outro lado, enfrentamos também um grande crescimento dos problemas relacionados a essa situação.

Um dos problemas que estamos vivendo é a ocupação desordenada, sem controle, por inúmeros ambulantes nas áreas ao lado da rodovia MG-050, que pertencem ao DER-MG, muitos deles comercializam alimentos preparados sem nenhuma condição de higiene devido à precariedade do local, sem água e esgoto. E isto salta aos olhos de quem passa pelo Mirante dos Cânions e na Ponte do Rio Turvo.

Essa situação, ao longo do tempo, tem gerado inúmeras críticas e reclamações de turistas e mesmo dos moradores da região. Já foram relatados casos de pessoas que sofreram intoxicação. Além disso, há risco para as pessoas que circulam perto da rodovia e a bagunça da ocupação sem controle ou critérios.

Toda essa situação chegou ao Ministério Público Federal e ao Ministério Público Estadual, que estão cobrando uma atitude do DER-MG – pois estão ocupando uma área do estado – e da prefeitura, já que o comércio ambulante deve ter alvará e licença da Vigilância Sanitária.

Por isso que, sendo cobrados agir, não podemos ficar parados. Já fizemos várias visitas e notificações em 2018, mas ninguém se regularizou. Se não dermos uma solução efetiva, todos nós, a prefeitura, o DER-MG e a polícia rodoviária, podemos responder judicialmente.

No dia 01/02/2019 aconteceu a primeira blitz e nesse dia 05/02/2019, fomos convocados a fazer a segunda blitz.

Não queremos impedir ninguém de trabalhar, mas não podemos deixar que uma situação que já foi denunciada e cobrada de nós, que é ilegal aos olhos da Lei e que está funcionando de uma maneira desorganizada, continue provocando frequentes críticas e reclamações de quem nos visita. Esta não é uma não é a imagem que queremos para Capitólio e o nosso turista. Daqui a pouco, por causa do interesse de alguns, todos os demais moradores de Capitólio que vivem do Turismo, poderão ter ameaçado o seu sustento, se essa situação negativa predominar.

Em reunião com os proprietários de áreas particulares da ponte do Turvo e no Mirante dos Cânions, negociamos a instalação de algumas barracas em seus terrenos, com padrão adequado, organização do comércio e com o critério de que todos tenham as suas licenças. Aí sim, os que estiverem corretos, poderão trabalhar.

A Prefeitura também está para começar neste mês de março as obras de implantação do Balneário Municipal do Turvo onde, entre outras instalações, teremos um espaço – como já foi falado com os ambulantes – para quiosques de vendas de produtos variados.

Queremos oportunidades para todos, mas não podemos aceitar o que estiver ilegal, inadequado, sem qualidade, e que no final, para beneficiar uns, prejudique todos os outros!

Compartilhar este post