Testes rápidos de coronavírus serão usados primeiro em profissionais de saúde e segurança pública

O Ministério da Saúde informou que os 500 mil testes rápidos para detectar o coronavírus já estão sendo analisados para que sejam distribuídos em todos os estados. Eles serão utilizados em profissionais de saúde e de segurança pública, os que estão na linha de frente do combate a Covid-19. O objetivo é fazer com que aqueles que apresentem sintomas relacionados à doença possam retornar aos serviços essenciais mais rapidamente e não após 14 dias, isolamento preconizado para o caso de não haver testes.

Segundo João Gabbardo dos Reis, secretário-executivo do Ministério da Saúde, a doação dos 500 mil testes rápidos pela mineradora Vale é importante, mas é preciso aguardar mais informações técnicas sobre a eficiência do produto antes que eles possam ser utilizados.

“Tem testes que estão aparecendo com qualidades diferentes. Não adianta adquirir um teste que nós não tenhamos condições de ter segurança sobre os resultados. O Ministério da Saúde recebeu uma doação grande, está fazendo aquisições de teste, mas os testes tem de ser aprovados pelo nosso Instituto Nacional de Controle de Qualidade e Saúde antes de ser colocados à disposição.”

O secretário-executivo lembra ainda que os testes rápidos precisam ser feitos em um momento específico, quando o infectado já está com a doença há vários dias, caso contrário, não tem efeito.

“O que que o teste rápido faz, ele identifica pessoas que já têm anticorpos, precisa já ter passado uma certa fase da doença para a identificação dos anticorpos. Se fizer um teste rápido em alguém que recém começou a ter sintomas, o teste rápido não vai identificar. Teste rápido precisa de um certo tempo, pelo menos dez dias do início da doença, pelo menos sete ou oito dias do início dos primeiros sintomas para que o teste rápido seja positivo.”

Os testes rápidos apresentam resultados em até 20 minutos. No caso dos profissionais de saúde e segurança, todos aqueles que apresentarem sintomas respiratórios, como tosse, dificuldade para respirar, congestão nasal e dor de garganta, serão colocados em isolamento e, após sete dias, serão testados com esse exame.

A remessa de 500 mil é o primeiro lote de um total de 5 milhões de testes rápidos adquiridos pela Vale e doados ao Ministério da Saúde.
Idosos com 60 anos ou mais não devem frequentar locais públicos ou ter contato com outras pessoas. A máscara é recomendada para todos, principalmente para quem esta com sintomas de gripe e deve ser combinada com a limpeza frequente das mãos, descartada depois do uso e as mãos lavadas em seguida.

Se tiver qualquer sintoma de gripe, fique em isolamento domiciliar por 14 dias e só procure um hospital de referência se estiver com falta de ar. No isolamento é importante manter distância mínima de um metro das outras pessoas, janelas abertas para circulação do ar, porta fechada e limpar a maçaneta frequentemente com álcool 70% ou água sanitária. Siga as orientações do Ministério da Saúde para o isolamento.

Fonte: Agência rádio mais

Compartilhar este post